Ultimas...
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

quinta-feira, 23 de março de 2017

Você gosta de mortadela? Saiba de que é feita e os riscos do consumo do produto

Uma conversa na mesa de bar, regada a cervejinha e um pão com mortadela. Ou um café da manhã reforçado, após a mortadela ser fatiada na padaria, com o cheirinho que vem da máquina aumentando o apetite. Deu vontade?
Mas, passada a tentação, vem outra questão, mais importante do que esta. E movida pelo lado racional, neste momento em que a Operação Carne Fraca colocou sob suspeita alguns frigoríficos. Mortadela é perigosa para a saúde?Muito se fala sobre os riscos da mortadela pelo fato dela ser um produto embutido e processado, composto de uma mistura de carne bovina, suína, de aves e de cubos de gordura.
Na visão de quem trabalha com microbiologia, a composição do produto em tese é confiável. O professor de microbiologia de alimentos da Unicamp, Anderson Sant'Ana, acredita que não há perigo para a saúde, caso as normas de produção do Ministério da Agricultura e da Anvisa sejam obedecidas. As restrições seriam as mesmas de outros alimentos para pessoas com dieta especial.


— Há normas do Ministério da Agricutura com padrões de qualidade, a mortadela não é um produto perigoso se produzido com matérias-primas adequadas. E isso acontece na maioria dos casos.
Mas para a nutricionista Renata Azevedo, pós-graduada pela Unifesp, do ponto de vista da composição e da regulamentação do Ministério da Agricultura, o produto, que precisa seguir normas rígidas de produção, requer agora mais cuidados na hora de ser consumido, devido às revelações da Operação.
— Isso é para ser questionado muito neste momento. O que achávamos antes é que estava havendo controle sanitário perfeito, mas não é o que está sendo mostrado neste atual momento, portanto não sei o que dizer (em relação aos perigos reais da mortadela).
Ela adianta que, do ponto de vista nutricional, apesar de saborosa, é preciso cautela em relação ao consumo da mortadela.
— Se formos pensar no valor nutricional, não é recomendável na alimentação, é uma mistura processada, que passa por temperos e condimentos para chegar no ponto e com isso vem excesso de sódio e de gordura. Por esse lado não é aconselhavel o consumo, mas se for ocasionalmente, em raros momentos, não prejudica, dentro de uma dieta equilibrada.
Com variações na Itália, de acordo com regiões, o alimento também é regulamentado pela União Europeia.
No Brasil, a mortadela segue as diretrizes de instrução normativa do Ministério da Agricultura, que estipulou seis variedades do produto: mortadela convencional, com limites para a mistura, incluindo miúdos como estômago, coração, fígado e outros; mortadela "tipo" bologna, com outro limite de mistura e máximo de 10% de gordura; mortadela italiana, com porções misturadas e proibição da adição de amido; mortadela bologna, um pouco diferente das outras, embutida de forma arredondada; mortadela de ave, com permissão para até 5% de miúdos, como moela e coração.
Uma das prováveis origens do nome é o mortaio, que em italiano é o pilão que esmaga e condensa a massa de carne. Sua origem data de mais de 2 mil anos, na época do Império Romano, quando imperadores a incluíam nos banquetes. A cidade de Bolonha passou a ser o principal centro deste alimento. Mas o produto se tornou tradicional em outros países, como Portugal, Espanha e Irã e chegou ao Brasil no século 20, com os imigrantes italianos. Ao longo do tempo, apesar de alguns críticos, ganhou fama de apetitoso. Vai um pedacinho? Você que sabe.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Blog do Joseilson