Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Festa do Ano no Fama Casa Show


propaganda

Facheiros Motel

Mundial Fashion


QUEREM FICAR PERFEITOS ENTÃO O LUGAR CERTO É NA MUNDIAL FASHION. CAMISETA BÁSICA 24 REAIS MUNDIAL FASHION SHOPPING TRAIRI CENTER SANTA CRUZ RN

Vende-se terrenos; últimos lotes


Açougue AM Carnes

Açougue AM Carnes

Publicidade

Store Multimarcas


Espaço Confecções


sábado, 22 de outubro de 2016

Vitima de estupro coletivo, mulher é molestada novamente em viatura da PM

A Polícia Civil e a Militar abriram procedimentos para investir a conduta de agentes em um caso de estupro coletivo contra uma mulher de 34 anos, que aconteceu na madrugada da última segunda-feira (17), em São Gonçalo, no Rio de Janeiro.
De acordo com as investigações, a vítima foi levada à delegacia ao lado dos seus agressores – e neste momento, dentro da viatura, voltou a ser molestada. Na delegacia, o agente de polícia escreveu termos vulgares para registrar a ocorrência, como “só gritou quando empurram um galho de árvore na sua bunda”.
Dois adolescentes foram apreendidos suspeitos de estuprar a vítima. A vendedora, de 34 anos, foi atacada  na madrugada de segunda-feira (17). Ela estava em um bar com um amigo, no bairro Lagoinha, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, quando quatro jovens ligados ao tráfico da região a arrastaram para o banheiro do bar. De lá, ela foi levada para uma rua deserta e com pouca iluminação, onde passou a ser estuprada pelo grupo. Um carro do 7º Batalhão da PM (São Gonçalo) passou pelo local, a encontrou nua e a socorreu.
Mais à frente, os policiais encontraram os adolescentes, que foram reconhecidos pela mulher. Eles foram detidos e sentaram na mesma viatura, ao lado da vítima. No caminho para a delegacia, um deles alisou sua perna e a ameaçou: “Fica tranquilinha, vai dar tudo certo”.
A vendedora foi levada para a 74ª Delegacia de Polícia (Alcântara), que não tem Núcleo de Atendimento à Mulher nem seguiu o novo protocolo da Polícia Civil para atendimento de vítimas de violência sexual, que prevê “atendimento humanizado à vítima, proporcionando condições necessárias para que ela possa comunicar a violência sofrida”.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Editado Por: Blog do Joseilson Cidade: Santa Cruz/RN