Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Festa do Ano no Fama Casa Show


propaganda

Facheiros Motel

Mundial Fashion


QUEREM FICAR PERFEITOS ENTÃO O LUGAR CERTO É NA MUNDIAL FASHION. CAMISETA BÁSICA 24 REAIS MUNDIAL FASHION SHOPPING TRAIRI CENTER SANTA CRUZ RN

Vende-se terrenos; últimos lotes


Açougue AM Carnes

Açougue AM Carnes

Publicidade

Store Multimarcas


Espaço Confecções


domingo, 31 de julho de 2016

Seca vai deixar café da manhã dos brasileiros mais caro

O café com leite, tradicional bebida presente no cardápio do café da manhã dos brasileiros, tende a figurar como o grande vilão da inflação nos próximos meses. As novas elevações de preço serão sentidas na primeira refeição do dia em função da baixa quantidade de chuva registrada ao longo dos últimos meses nas regiões produtoras dos alimentos.
Ao longo dos primeiros seis meses do ano, o leite longa vida registrou alta de 26,7% e o café moído saltou 17,9%, segundo a inflação oficial medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em julho, a tendência de alta no preço das bebidas foi confirmada com variações de, respectivamente, 15,54% e 2,15% até o 15ª dia do mês.


Dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo) mostram que a saca de 60kg do café Conillon, aquele mais consumido pelas famílias brasileiras, está próximo de atingir o maior valor da história, de R$ 422, alcançado em dezembro de 2011.
O economista da FGV (Fundação Getulio Vargas) André Braz avalia que, apresar da elevação de preço do café, o grande “vilão” da inflação do café da manhã é o leite. Segundo ele, a avaliação acontece em função do produto ser um alimento essencial, fonte de proteína barata e que serve como derivado para outros itens.
— O café pesa pouco no orçamento, mas o leite sozinho compromete a 1% do gasto total das famílias. Quando ele sobe de preço, o impacto é bem maior do que o do café que pesa um terço do leite.
Braz afirma que o pãozinho francês também não pode ser esquecido quando o assunto é a alta de preços. De acordo com o economista, mesmo com uma alta moderada de 3,96% no primeiro semestre, o item sempre acompanha o índice geral de preços.
— Me parece que a oferta de trigo não está tão abundante como nos últimos anos. Como o pão francês é um produto essencial, do qual poucas famílias abrem mão, acaba tendo um papel mais forte ainda no custo de vida.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Editado Por: Blog do Joseilson Cidade: Santa Cruz/RN