Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Contrate a melhor banda forrozeiro do RN!

Festa do Ano no Fama Casa Show


propaganda

Facheiros Motel

Mundial Fashion


QUEREM FICAR PERFEITOS ENTÃO O LUGAR CERTO É NA MUNDIAL FASHION. CAMISETA BÁSICA 24 REAIS MUNDIAL FASHION SHOPPING TRAIRI CENTER SANTA CRUZ RN

Vende-se terrenos; últimos lotes


Açougue AM Carnes

Açougue AM Carnes

Publicidade

Store Multimarcas


Espaço Confecções


sexta-feira, 20 de maio de 2016

Temer suspende terceira fase do Minha Casa Minha Vida


O governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) suspendeu por completo a terceira etapa do programa habitacional Minha Casa Minha Vida (MCMV) e abandonou a meta traçada pela presidente afastada Dilma Rousseff (PT) de contratar dois milhões de moradias até o fim de 2018, disse o ministro das Cidades, Bruno Araújo. Segundo o ministro disse ao jornal O Estado de S.Paulo, a nova meta para o MCMV vai depender da análise das contas públicas pela nova equipe econômica do governo, chefiada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o prazo para essa avaliação deve ficar em torno de 40 dias. "É preferível que identifiquemos os reais limites do programa e que os números anunciados sejam o limite de contratação", afirmou o ministro ao jornal, acrescentando que "metas realistas" não geram expectativas falsas.

Meta era de três milhões de moradias
Dilma Rousseff anunciou o MCMV 3, pela primeira vez, em julho de 2014, na véspera do início da campanha eleitoral, na comunidade do Paranoá, em Brasília.

Naquele dia, prometeu construir 3 milhões de moradias até o fim de 2018, número que foi repetido na campanha e no início do segundo mandato. Posteriormente, recuou para 2 milhões de unidades, com investimentos de cerca de R$ 210,6 bilhões, sendo R$ 41,2 bilhões do Orçamento-Geral da União.
A terceira etapa do programa, porém, não engatilhou, e o ministro diz que todas as condições serão reavaliadas, até mesmo a grande novidade - a criação da faixa intermediária, batizada de faixa 1,5 - que nunca saiu do papel. Ela beneficiaria famílias que ganham até R$ 2.350 por mês, com subsídios de até R$ 45 mil para a compra de imóveis, cujo valor pode chegar a R$ 135 mil, de acordo com a localidade e a renda. Além do "desconto", os juros do financiamento, de 5% ao ano, também seriam subsidiados com recursos do FGTS.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Editado Por: Blog do Joseilson Cidade: Santa Cruz/RN