(Foto: AFP): Protesto em frente ao Palácio do Planalto pedindo o impeachment de Dilma Rousseff Em meio à revelação de gravações realizadas pela Polícia Federal mostrando conversas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, inclusive com sua sucessora Dilma Rousseff, centenas de manifestantes protestam na noite desta quarta em frente ao Palácio do Planalto, sede do governo federal, e na avenida Paulista, em São Paulo.
O juiz Sergio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato na 1ª instância, retirou o sigilo sobre os dados colhidos na 24ª etapa da operação, tornando públicos áudios que, segundo os investigadores, sugerem que o líder petista foi nomeado ministro da Casa Civil para evitar ser alvo de ações da Justiça do Paraná.


Aos gritos de "Renuncia, renuncia", manifestantes já protestavam em frente ao Planalto contra o anúncio da nomeação do presidente quando a imprensa passou a divulgar as conversas, interceptadas pela PF com autorização de Moro.
Um grupo chegou a fazer uma queima de fogos de artifício no local, enquanto um carro de som chegou para reproduzir o áudio para os participantes do áudio. Ativistas pró-impeachment, como Kim Kataguiri, do Movimento Brasil Livre, diziam ao microfone que "o governo já caiu". A polícia estimava em 2 mil pessoas os participantes até a publicação desta reportagem.